domingo, 12 de abril de 2009

Fogão de lenha

Lenha a queimar
Brasa à avermelhar
Fumaça dissipada no ar
Em poucos instantes apenas cinzas

Viver sempre é assim
Começa em brasas e termina cinza
Pelo menos das cinzas
A vida continua a se alimentar