Pensamentos poéticos II

Reflexo

Sou reflexo de um tempo
O meu tempo é o Eu
Posso até tentar ser Nós
Mas é o Eu quem determina

Individual

No individualismo dos tempos modernos
Moderno é o ser que dá aos outros
Mas hoje até o dar as vezes é mal visto
No Eu a minha geração contenta em permanecer
É custozo ver os outros

Contos de fada

A Humanidade olha-se no espelho e pergunta:
Espelho, espelho meu...
Até nos contos de fada queremos possuir
A posse acontece porque o outro permitiu
Não sou de ninguém,
Estou no mundo,
Não pertenço a Ele.

Transgressão

Transgressão da poesia
Mas como fazê-la?
Há fórmulas?
Para mim não há

A poesia clássica é uma insossa
Todo poeta é um transgressor da palavra
Uma coisa é certa
Não há como transgredir o próprio Eu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog