Revelações de uma alma

Hoje estou mal, sinto uma tristeza profunda,um vazio enorme,
as coisas que procuro esvaem pelos meus dedos
e a alma derrama toda dor vivida no hoje.

Sinto meu corpo tremer
a voz balbuciar
e o coração arder
ainda bem que estou vivo.

Poucos me entendem,
mas os poucos são meus eternos amigos
do qual cultivo como belas rosas perfumadas.

Posso não falar,
mas meu corpo fala por mim.

Posso não amar,
mas meu corpo ama por mim.

Somos seres bilaterais,
vivemos em uma duplicidade de vida
vida sacra, vida profana,
vida amor, vida desprezo.

Aquela que conseguir imperar sobre o nosso “eu”
é aquela que dirá quem somos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Êxtase com McQueen