Voz das Geraes

Quando escuto tua voz
O meu coração abre-se
De dentro vejo tanta luz
Penetra na alma, clareia

Uma voz que mexe e reflete
Afeta os poros sensibilizados
Não há dor, diante dela somente amor
Um amor imenso, cheiro paradisíaco

Voz tão clara como os riachos de Minas
E Minas é teu som
Sonoro prazer é te ouvir
As lágrimas escorrem cachoeira abaixo
Nas pedras batem, lapidam a dureza

Uma alma se sente
Tanta ternura, tanto afeto
Nascente voz, Nascimento
Milton, uma voz, que ama cantando a Humanidade
A sua humana idade de ser cantor
Cantor, eis a Voz das Geraes

Comentários

  1. Grato pela tua visita ao meu blogue.
    Muito interessante o que aqui escreves.

    Abraço cordial.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A luz