segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Mulher idealizada

Sentado a beira da praia
Céu intempestivo, mar revolto
Ondas sinestesicas

Na fronte o sol
Bate em minha pele alva
Olhos longíquos se vão

Parece miragem
Vejo um ser reluzente
Com o corpo desnudo pelo vento

Sensações inebriantes invadem-me
Cada dia penso nessa imagem
Ser ideal, fictício ou real

Na realidade encontro-me
Não sei se a encontrarei
Mas da sua pele nunca mais esquecerei

Pequeno amor

Amar é um fato
Viver é um ofício
Casar é um risco

O meu pequeno amor
Uma vez me disse:
O fato de amar é um ofício de viver no risco de casar