Eu transito

Eu transito pela vida
Caminhando nas pontas dos dedos
Não sou um bailarino
Mas reconheço o tal tropeço

Eu caminho com você
Agora tú apresentas ao meu lado
Com caminhar lento e apurado
Teu jeito de ser amaranha o tato

Tua voz penetrou em um coração endurecido
Amoleceu, e encheu de tal brilho
Que os olhos de tão puros abrigos
Recolhe teu afeto longíquo

O dia do encontro, daqueles que só saberemos
O olho no olho, pele encostando em pele
Fervente prazer eternecido
Por uma voz que me arrasta demancinho

Esperança de ouvir e de ver é tanta
Que o coração encanta
Com singeleza presença
Antes que eu cala-me para sempre

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz