Profano


Num sonho profético, na imensidão além mar
Com uma andorinha que só se encontra
Vagando a procurar um pouso a sustentar
Naquela eterna razão de laços
E em um canto profano a deformar

Comentários

  1. Olá! Visitei o seu blog e gostei muito!! Suas poesias são belíssimas! Parabéns! Aproveito para desejar-lhe um 2011 maravilhoso! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Grato!!! E desejo o mesmo a vc, muita coisa boa na sua vida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen