Corrosivo

As palavras negam-me
Os instantes afloram dos verbos
Cada reação corroem os sujeitos
Naqueles predicados mais de preceitos

Na pequena frase um adeus
Uma breve sentelha de um ponto final
Que antes eram vírgulas para parar
Aquele lado corrosivo de se expressar

Nada é possível terminar
Mesmo quando há um ponto final
Pode-se recomeçar
E mais corrosivo há de ficar

O fel que desce goela abaixo
É o mesmo que nutre as entranhas
Daqueles frouxos sorrisos
Apenas ossos e pó

Postagens mais visitadas deste blog

A luz