Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

Lágrimas

Escorro pelo teu rosto
Desço rente àquela muralha
Lavando tudo que está a volta

Cada gota da minha presença
Pode ser algo da inocência
Antes que seja fora do que vertidas dentro

Teu gosto quase sempre amargo
Fogem para o alto em pensamentos
Que mais geram água e sofrimento

Pode ser de alegria
Nunca quase contida
Daquelas que saem fora da garganta
Inundando céus e terras

Em um simples lacrimejar
Cada gota a de lembrar
Um fato de exixtência que existe
E sempre na memória hei de guardar

Meditações dos tolos

Eu sou a luz que ilumina seu dia
A paz que atravessa os ares
Corta como navalha aquelas velhas ideias

Sou a voz que grita sem ser escutada
Instantes emudecidos por gestos inadequados
Com a simplicidade de um tolo

Tantos bravos homens morreram em seus tediosos dias
Com aquela medalha no peito
Tentando gritar algo sem importância

Ser o que se é importa?
Fazer o que se tem para fazer, fará a diferença?
Correr como um louco e cair de bruços

Sabe aquelas músicas mais inocentes
As de ninar mesmo, já ouviu?
Acorda deste teu sonho primaveril!

O caramelo é realmente doce
Amargo nem todos gostam
Com tanta coisa interessante no mundo
Fica com ele na boca e chupa