True Blood

A vida de todos é compensada pela monotonia dos olhares
Cada voz é aquela face obscura no luar
O sangue em teus caninos faz festa
Naquele revoar de pássaros morcegos

No cintilar da alvorada
Em braços o sangue vertido desabrochará
Findáveis sensações de êxtase
E um canto de sonora rudeza


Não haverá nada mais a acrescentar
E em um breve, gélido e pavoroso suspiro
O coração sem dar sinal de existência
As mãos a percorrer teu corpo
Paz e silêncio num leito de sangue

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A luz