Erros

O tempo passa como trovoada
Temporal dentro da alma
Que lança na escuridão dos dias
Como se fosse uma dor inventada

Os erros são como estacas
Marteladas na vida mal vivida
Naquela camada crua
Tanto faz agora os valores

Não se usa a razão na raiva
Outros sentimentos são cegantes
Depois dos fatos já consumados
A mera falência das explicações
Ora nunca importantes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog