Tempo em crise

Sou poeta de um tempo em crise
Em que um programa de tv mostra bizarrices
E no delírio de uma gente sem noção
Adora o prestígio que o trabalho simples

Sou poeta de um tempo em crise
Que sentimentos não mais importam
O falatório dos nossos egos
Encobriram-se de cinzas expressões de afeto

Sou poeta de um tempo em crise
Que escrever poesia é quase uma histeria
Só que invertida
De versos sem uma prosa definida

Sou poeta de um tempo em crise
Que mesmo com tais dificuldades
Ainda tem gente com cabeça pensante
Não aceita as formas definitivas
E luta para ser ouvida

Sou poeta de um tempo em crise
Que o verdadeiro é escasso
O falso é exaltado
Como se fosse uma verdade de fato

Sou poeta de um tempo de crise
Que acredita na capacidade humana
De reinventar a própria história
Naquele olhar de brilho inconfundível
Perpassa o finito e toca com os dedos

Sou poeta de um tempo em crise
Que não tem medo de dizer o que pensa
Mesmo se errado estiver
Para e reflete
Não sou dono da verdade
Dei-me uma linha e um tecido
Remendo a vida, costuro
Daquele "patchwork"
Entrelaçando faço a diferença

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen