A menina de fita amarela (Parte 2)

Em um dia a menina de fita amarela, resolveu viajar para conhecer seu país que tanto amava, e descobriu que seu mundinho era apenas uma parte da vida. Descobriu dentro de si que o mar é seu grande companheiro de viagem. E como ela gosta do mar, daquele gosto de sal que impregna sua alma, deixando-a mais atenta. Caminhava pelas areias da praia, deserta por sinal, ela encontra um rapaz, olhares são trocados. Ela já não é aquela menina pequena, cresceu se tornou numa bela mulher, madura, com seu jeito todo especial de ser, mas que ainda guarda dentro de si aquela menina de fita amarela.

O rapaz se aproxima a convida para um passeio daqueles que só podem ser feitos nas estrelas, e cada areia se torna uma estrela em seus pés e de singela beleza eles de mãos dadas caminham, e veem seus reflexos naquela imensidão do oceano.

A lua já se encontra no topo, toda nova, toda bela, e os olhos de ambos se enchem de lágrimas. Daquelas lágrimas que escorrem em seus olhos no qual há um futuro promissor diria. Mas eles sabem que a vida nada é esperado, e que juntos podem caminhar por aquelas areias, basta que tenham a coragem de viver o momento presente, aquele que perpassa pela vida corrente.

Os dois ainda não resolveram o que fazer, estão apenas vivendo aquele instante. Várias coisas já perceberam como qualquer casal tem suas peculiaridades, mas a menina de fita amarela que agora é aquela mulher; pensa que são essas peculiaridades que dão tempero todo especial a relação ainda em construção.

Isto tudo passa na cabeça dela, mas ela está lá apenas vivenciando esse momento, com o coração tranqüilo, sem pressa. De alma aberta, para que aquele moço lindo se aproxime dela, do jeito dele. Com a cabeça em seu peito aquela menina reclina-se, espera ansiosamente por aquele carinho tão bom de sentir. Daquele que quando se toca, o coração dispara e se enche de alegria.

Uma coisa é certa, aquela menina que já é uma mulher, que nada que é verdadeiro e sincero pode se completar, e na sua grande lua interior ela aguarda o rapaz, que a lua interior dele também seja sempre sincera e verdadeira; e que juntos possam concretizar muitas outras histórias, está parece apenas começar, ainda não se sabe o final, porque ainda se encontram naquela beira de mar, olhando para aquela imensidão e curtindo o momento com os corações abertos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz