Em uma pista de dança

Eu te vê naquela pista de dança, com coragem de uma menina pequena
Com minha arma apontada para tua cabeça disparei-a
Você nem notou que na realidade acertei seu pobre coração
Fiz com um prazer quase doentio de tê-lo ao meu lado

Agora não adianta fugir das armadilhas que coloquei a tua volta
Sadomizando o teu ser, com aquele gesto profundo comprimindo o teu eu
Tu, pertence-me e mesmo que tentes fugir  as raízes já estão formadas
Aquela música ao fundo é minha melhor droga para te corromper

Cala-te enquanto podes, farei de você o que quiser
Mando e desmando no teu coração contrito
O meu gozo é o teu prazer contido

Olhe para a pista de dança?
Aquelas luzes não te dizem nada
Com minha arma em punho, faço um disparo certeiro
Naquele onírico fim teu orgão muscular é meu

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog