Refletindo

Encha o peito ao brado perfeito
Aquele gesto de propensa intenção de dizer não
Saia daquele discurso em tela e viva a tua história
Não deixe que mais inocentes suplantem ao chão

Na liberdade da razão
Um filme em preto e branco passa pela memória
Anos calados de pura introspecção
Não serão mais os mesmos devido ao fato de nem tudo é não

Se uma história aviltante não é capaz de trazer a tua missão
Pelo menos faça o que puder para que aquele ser seja lembrado
A homofobia não é um caso isolado e precisa ser questionada
Por aquele que sofre essa inquietante omissão

Aqueles que com trava nos olhos omitem-se deste fato
Não veem tua população as marcas da desolação
Bravo é aquele que luta pela tua identidade fincada
Eu sou apenas um poeta, que finca as imagens na eterna liberdade de expressão

Carregas essa chaga pela realidade mundo a fora
Em um instante de reflexão vejo uma clara ausência
O país onde vivo não é de todos, porque omite o socorro
Daquele mesmo povo que faz das palavras seu gesto de libertação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog