segunda-feira, 11 de junho de 2012

Ato

Diante de um sacrário
Pediste a santificação da sua alma
Como um cordeiro imolado

Tudo passou diante dos teus olhos
Aquele vulto negro
O carro, o freio, a morte

As sombras em dissipação
O vermelho e árido
Azul celeste

Recolha os cacos
Branca luz acesa
Não mais escondida
Agora no candelabro

segunda-feira, 4 de junho de 2012

São Francisco de Caravaggio

Entre aquela sombra
Perpassando pela direita
Um feixe de luz
A pintura de Caravaggio
Medito com São Francisco
Cenas vivas
Contemplativas de inspiração barroca
O cordão de lado
Hábito poído
A passagem pela morte
E a redenção pela cruz
Um santo para cada tempo
Os santos de hoje sem distinção

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Constelações

O céu com suas constelações
A abóboda terrestre
Suas estrelas e luzes próprias
Encantam as crianças

A menina logo sobe ao telescópio
Naquela precisão de ver um planeta
Agitação pela curiosidade
Algo que nunca deveríamos perder

O mundo do adulto
Aquela rotina maçante
Nos tira o brilho dos olhos
As estrelas nos devolvem esse brilhar

Conheço Saturno e Vênus, e você caro leitor?
Já se deu a oportunidade de ver os céus
Claridade que acalma, rejuvenesce e transcende
Toda criança no fundo sabe disso

Por preconceito tolo de adultos
Perdemos esse religar com o espaço
Somos feitos de poeira cósmica
Um dia retornaremos como chuvas ou estrelas