Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Quero ser Jonathan

Sou Jonathan,
dos sonhos de Adélia.
Aquela mineirice que encanta,
faz as mulheres recolherem-se de tanto tesão.

Conquisto com minha lábia,
de trovadores
que visceram as damas,
com simples expressões.

Sou Jonathan,
um menino com olhar baixio,
de fala mansa,
dizem que sou padre.

Arranco-te do tédio,
vem me conhecer minha amada,
Senhora dos meus céus,
pureza da alma.

Quero ser Jonathan,
poeta da natureza,
da mística, da beleza de um Deus .

Poesias em 140 caracteres

Você
Quantas vezes te procurei por caminhos abertos,
em teus cabelos cor de selva,
te encontrei abismada de fronte a uma aquarela.

Possessão
Sangue encarnado em um peito circunflexo,
coração dilatado,
meu amor é possesso.

Revoada
Naquele azul-celeste os pássaros brindam,
em revoadas metafísicas.

Corpo
O corpo se lambuza,
em uma alma que abusa.

Tocar
Findar do dia,
eu te toco com minha imaginação.

Pássaro-semente

Imagem
Voei por matas selvagens
Comendo dos frutos
Despersando as sementes

Sou um pássaro-semente
Cada palavra dispersada
Encontra um solo diferente

Ora seco e inóspito
Ora úmido e reluzente

O meu bico cor de fogo
Devora a tudo que encontra
Com apetite voraz
Transcende o alimento

A matéria metafísica
Aquela energia transformada
Como pássaro-semente ei de ficar
E voar, voando pelas palavras.


Bye bye

Beijos nas gardênias
Sem culpas e sofrimentos
Levo da vida o melhor
Bons sentimentos

Não consigo acreditar em coisas tão universais
Tente entender, darling
Prometas que seguirás teu caminho
Com afeto e adoçante

Independência da poesia

Aquele grito na beira do riacho
Vamos todos nos tornar independentes
Sem frases e ideias autorais
Entregando-se a qualquer balela

A forma que escrevo independente fica
O pensar independente se torna
Independência que tardia
Ela vem com esforço e vai embora

Rimas frouxas, menos complexas
Facéis de conjugar
Tudo indenpendente fica
A poeisa é dependente da forma?

Nas linhas curvas
De compassado traço
Poesia e independência se entrelaçam
Minhas formas são independentemente diversas

O copo

Em um copo vazio
Uma taça de espumante
Aquele querer bem
Insinuante desejo

Em copo semi-cheio
Uma taça de vinho
Aquele querer que corrompe
Desejo exposto

Em um copo cheio e transbordante
Uma taça de champagne
Aquele querer que devora
Desejo consumado