Percorrendo


Antes te procurei por caminhos de girassóis,
naquela eterna soledade de um alvorecer.
Revirei pedras de um azul celeste,
na breve honra de tê-lo como mulher.
A tua mão valseia pela minha nuca,
toca-me, arranha e assanha...
Uma mulher de carne e osso pra sempre serei.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz