Depois de Lúcia


Assisti este filme ontem, "Depois de Lúcia". Sai do cinema atônito, sem reação aparente. É daqueles filmes que você vê e demora pra assimilar. Uma realidade presente em todos os tempos. Escancarada de maneira sútil, mas densa e profunda. A dor que cala por medo. A angústia da não reação. Submeter-se aos piores constrangimentos pra não incomodar um pai, este em processo depressivo. A maldade escancarada, batendo na cara, gritando sua fúria, seu desejo incontrolável por poder. Escravizar o outro, dominá-lo até que não consiga mais reagir. Onde estaria a vítima? Onde estariam os algozes? E tudo num ambiente de uma escola que deveria ser o local onde apenas as ideias fossem confrontadas, mas na realidade não é bem assim. Depois de Lúcia fiquei sem reação, perplexo pela maldade com que o ser humano pode chegar. Isso não é apenas um filme, uma ficção, tem muito de verdade. Talvez por isso a perplexidade seja a nota aguda que ecoa em Lúcia. Ela tem um pouco de mim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen