Homem de afetos

Os olhos enchem de lágrimas
Péssimo com conflitos
Prefiro sempre a paz

Há uma coisa dentro de mim
Que não contenta com a guerra
Se desfaz na hora certa
Em clima de uma eufórica mansidão

Os joelhos cansados
Prostrados diante de uma espada
Transpassasse o peito
E de utopias morreria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog