Terceiro Milênio, o Amor


Sós
Olhando a vastidão além-mar
Com o coração cheio de emoções
Não vemos quem está ao nosso lado
Perdemos a sorte de amar
Ame ao próximo disse o profeta
Continuamos absortos na paisagem
Olhando, olhando
Porque no amor se ama
Quando nada tem nosso
Um amor que sobrevive do divino de outrora
Mergulhado em raízes etéreas
Sós
Continuemos a olhar sós
E daquela vontade que inspira
Sairemos dos nós
Alcançaremos o outro lado
Neste silêncio em que o eu parece imperar
Juntos
A grande possibilidade se abre
Daquele sorriso de criança invade
Fulguras o verdadeiro amor
Ame
Os laços de uma humanidade em evolução
Em que as ações prosperam
Busquemos os olhares de afeto
E num abraço forte se alternam.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen