Here inside

Saímos de calabouços
Ao vivermos em gaiolas prateadas
Os evangelhos que não sustentam nada
São linhas de uma forma de expressão

Seguimos descalços pelas estradas empoeiradas
Com vestes opacas pela sujidade
Daqueles querubins com suas harpas

Força e claridade de uma vida que resplandece
De um desejo quase inalcançável
E assim um breve será


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog