terça-feira, 29 de outubro de 2013

A faca e o aluno

Com uma faca na mochila
O ódio no pensamento
Diálogos que se perdem
É tão mais fácil deixar-se explodir do que se conter e parar
E ver outra solução
É o extremo mas isso acontece
E aconteceu na escola
Um aluno querendo matar o outro
Motivos? Que motivos?
Existe motivo pra isso?
É difícil eu sei e todos sabemos
Mas é no diálogo que crescemos
Na troca de entendimentos
Quando não der
O melhor é calar não os sentimentos
Mas sim as vontades
Às vezes você quer reagir
De impulso, reativo
Para, dá um tempo
Pensa!
Os nossos sentimentos negativos nos cegam
Nos privam de melhorar
Aquele sentimento menor
Transforme em arte
E provoque em si uma revolução

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

As Marias

Minha casa tem muitas Marias
Cada uma com sua cor
Com vertentes de fé particulares
Umas mais religiosas outras nem tanto
Mãe é a mais religiosa
Daquelas de debulhar o terço
Talvez por isso tenha uma necessidade quase orgânica de sagrado
Em tudo que faço, minhas ideias são impregnadas dele
Chega às vezes ser sufocante
Muda o disco diria alguns
Mas quando se tem referências tão fortes
Não há como fugir
O melhor a fazer é tirar proveito



terça-feira, 22 de outubro de 2013

Inovação

Você quer inovar?
Por que se busca desesperadamente algo novo?
Estamos insaciáveis por aquilo que faz brilhar os olhos
Buscamos o brilho do lado externo
Sejamos inovadores
O castelo interior no mundo de hoje é menos interessante?
Então é de lá que virá a inovação.

Inovação é um processo lento
É experimentativo, é autoexperimentativo
Vem de reflexões constantemente confrontadas
Confronto e realizo
Realizo-me ao confrontar
Despido de grandes conceitos e fórmulas
Procuro meu lugar no mundo
 


sexta-feira, 18 de outubro de 2013