sábado, 28 de dezembro de 2013

Mensagem de fim de ano

Escrevo poesia tem uns 8 anos, o blog tem 5 anos. Muito do que escrevo são reflexões de fatos do cotidiano, outras vezes inspirações que vem das músicas que escuto. Além dos autores que sempre cito no blog como Carlos Drummond de Andrade, Cora Coralina e Adélia Prato, tem uma cantora que de alguma certa forma influência muito minha escrita. Para alguns pode parecer que sempre quando cito-a quero me promover as suas custas, mas não é assim. Tem pessoas que nos motivam pelo jeito que trabalham, pelo jeito que pensam, é como se as ideias de um fundissem com as ideias do outro, e muitos sabem da minha paixão por Madonna, por aquilo que ela é. Não tenho medo de dizer que ela de uma certa maneira me influência principalmente depois de 2012. Por que estou escrevendo sobre estas coisas, é pra agradecer a todos que passaram pela minha vida e que de alguma maneira me influenciaram a expressar o que penso. Que esta pequena comunhão chegue até ela, e que algum dia ela veja isso. Tem outras pessoas que tenho que agradecer, meu namorado, por estar sempre comigo em cada viagem interior que faço, por ser tão prestativo e um verdadeiro companheiro de viagem. O meu agradecimento a minha família pela força que me dá, em especial minha irmã Irley por toda forma de apoio. Sou grato, gratidão é uma palavra que sempre me põe com os pés no chão. Próximo passo pra os próximos anos fazer o curso de Filosofia e/ou Letras, está no meu caderno de intenções não só pra 2014, mas para os próximos anos.
 
Desejo a todos um ano repleto de reflexões, boas escolhas e que a Luz que habita dentro de nós reverbere em todos os corações.
 
Feliz 2014!!! Volto a escrever só no próximo ano.

Assim

Te criei por entre folhas
De um jasmim encantado
Cruzes formadas com seu nome
Enfeitam meu teto

Pai, não sou aquele garoto
Que tudo ouvia e calava
Pressentia e mantia calado
Prestes a explosão

Te criei numa selva de pedras
Busquei notas fictícias
De uma amizade que pouco valeu
Somos e seremos opostos

Confrontados pelo tempo
Carreados pela força dos ventos
Minha póetica é etérea
Fina como bruma de um amanhã

Oliwer

Um lindo transhomem
Oliwer com coragem se fez
Consciente de suas batalhas
Vencerás todas uma de cada vez

Com a maturidade invejável
De alguém que passa por transformações
O teu corpo pode ser até cobiçado
Mas é na alma que se encontra o verdadeiro valor

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

II

Não sei onde está a paz que me consola
Do toque marginal dos teus lábios
Duas rolas entremeadas de paixão
No coito obsceno
Falaste ao meu ouvido coisas delirantes

I

Andei por caminhos pra te encontrar
No céu de pontos luminosos
Vejo seu sorriso junto ao meu
Em uma condição orgástica
Vozes e volumes penetrando a alma

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Pássaros do paraíso

Sobrevoam aos quatro ventos
Seres celestiais com suas plumas
Vestes de quatro cores
Fantasia de uma vida real
Subvertendo o paraíso
Não sou um pecador
Não sou um lindo assassino
Minha álula vem de pensamentos caóticos
Se misturam e formam pássaros do paraíso

Naufrágio

Aquela distância entre nós
Num submerso amor
Em uma noite parisiense
Os secretos desejos mascarados
Você é importante, baby
Venha me conquistar com teus lábios
Aquele fogo que consome
Em um caudaloso rio de emoções
Naufraguei entre seus braços
Fiz loucuras que só poderiam ser de amor
Um amor obstinado
Por ti, por ti
Vem e me consuma como uma vodka
Embalada para o alto mar
Stromboli, Stromboli
Nosso amor é uma Stromboli

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Abismo

De encontro com o abismo
Um vento que toca a pele
A morte do próprio orgulho
Com asas em uma aquarela

Abismando em reflexos
O cair instaura a paz
Blocos de pedra em água cristalina
Como artista hão de ficar

domingo, 22 de dezembro de 2013

10 livros que recomendo

1. Felicidade Clandestina de Clarice Lispector
2. A filosofia perene de Aldous Huxley
3. O Universo, Os Deuses e Os Homens de Jean-Pierre Vernant
4. Rosa do povo de Carlos Drummond de Andrade
5. Oráculos de maio de Adélia Prado
6. Vintém de Cobre - Meias confissões de Aninha de Cora Coralina
7. 26 Poetas hoje de Heloísa Buarque de Hollanda (referência da poesia marginal)
8. Viagem solitária de João W. Nery
9. O encontro marcado de Fernando Sabino
10. O grito de Chiara Lubich (pra quem gosta de espiritualidade cristã)

P.s: Não escolhi porque são os melhores, mas sim, porque me dizem algo de profundo.




sábado, 21 de dezembro de 2013

Profetizar

As pessoas querem coisas irreais
Onde não se pode tocar
A realidade está aí
Basta olhar pra fora de nós mesmos

Querem profecias
Coisas mágicas
A ilusão de se iludir
Basta olhar pra fora de si mesmo

Experiência

Não posso me referenciar como católico.Apesar da minha formação humana e religiosa estar embuinda de catolicismo. Sou um cristão com raízes bem definidas.Tenho dentro de mim um sentido de mudança, pequenas, mas constantes. Ontem vi que um motorista de táxi que estava dentro do seu carro e queria jogar fora uma garrafa de plástico na lixeira. Não pensei duas vezes, vi que estava com dificuldades e perguntei se precisava de ajuda, ele me disse sim, e aí o ajudei. Penso nestes pequenos gestos que podem ser feitos, tão simples, mas autênticos. E se tenho dentro de mim essa vontade, muito devo a minha formação humana que recebi nos meus anos de adolescência. E que agora estão mais maduras e ao estudo das leituras da kabbalah. Não sou um cabalista, não estudei o Zohar ainda, mas estou em vias de buscar este conhecimento.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Complexos entre livros

Eu nunca li Madame de Bovary. Muitos clássicos também não li. Há uma certa discriminação literária quando você se assume leitor das chamadas "autoajudas". Pra mim todo livro tem um caráter educativo e se isso é ser autoajuda então nada a temer. As pessoas perdem muito tempo recriminando as outras por aquilo que elas gostam de ler, já vi comentários maldosos com relação as obras do Paulo Coelho e nem me importo de dizer que já li três livros dele e não me sinto nem um pouco diminuido por isso. Se a cultura de um autor te enriquece é porque valeu a pena lê-lo. Há um certo ranço intelectual em alguns que se julgam muito cultos devido as coisas que leem. É mais fino falar que leu determinado autor do que outro, ao invés de pensar, o que eu aprendi com aquele autor? A gente sempre pode aprender um pouco mais, mesmo em literatura de "autoajuda". Estimular o pensamento positivo das pessoas, imbuir nelas o desejo de querer melhorar, levá-las a pensar nos próprios comportamentos são traços de um autor consonante com o nosso tempo. Há quem não goste, como há quem não goste de muitas outras coisas. E assim, se ergue um muro. Proponho a derrubada de muros, de conceitos, de ideias. Não gostar de algo, não precisa ser impecílio pra agrupar novas formas de se fazer as coisas, ou de tentar fazê-las de modo diferente. Na minha estante cabe vários livros, eles dialogam entre si numa boa, não precisam sofrer de complexos de inferioridade, todos tem a mesma importância educativa. Agora sobre importância literária, essa eles dão de ombros, porque eles são mais eles.


Romance

A chuva no para-brisa
Aquele movimento de ida e volta
A água escorrendo
Sendo levada
O beijo na imensidão do toque
Apenas água.

Sóbrio

Um copo de conhaque
Uma taça de cosmopolitan
A cerveja bem gelada
E sobriedade de tempos passados
Sóbrio

sábado, 14 de dezembro de 2013

Twitter

Estou no twitter, lá posto ideias, pensamentos e coisas que faço se quiser me seguir seja bem vindo. @evanmarcal

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

A rotina

Ele cheira a fragrância Monsenhor de Gaultier
Com notas encorpadas e distintas
Percorre os corredores
Aquela pressa constante
Pega metro e ônibus
Um jeito meio desleixado de ser
Displicente
Calça larga que evidência seu excesso de peso
Uma camisa clara, tom pastel
Chega ao trabalho todas as tardes
Senta no computador e olha os e-mails
Uma rotina quase insuportável
Nunca foi afeito as rotinas
Agora na fase adulta tem que se adequar
É teu ganha pão, seu sustento
Mergulhado encontra-se

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Casarão orfanato

Ele era órfão naquele casarão velho
Ruínas de uma história de vida
Corria pelos campos apressadamente
Vivia de pegar goiaba nos pés
O banho era uma imposição
A oração um ofício
Vejo o silêncio da refeição
E na parede uma frase
Sou o pão da vida quem me come será saciado
Procuro histórias verídicas
Se um dia encontrar
Deixariam de ser apenas poesia
Prosa livre a desenrolar

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Minha primeira publicação

Faz alguns meses publiquei uma poesia numa antologia poética "O Segredo da Crisálida - Volume III", começando a aventurar pelo mundo das palavras, agora de maneira um pouco mais profissional.

Segue o site pra compra da antologia. A compra da antologia pode ser feita diretamente na Editora Andross http://www.andross.com.br/



sábado, 7 de dezembro de 2013

Uma pequena experiência

Conheci uma garotinha de 8 ou 9 anos de idade na escola que trabalho e seu sonho é montar uma biblioteca. Vendo-a falar com entusiasmo deste sonho fiquei sensibilizado e prometi que daria um livro pra ela. Neste semana fui comprar o livro, não tinha nada na cabeça. Que livro dar pra uma criança? Veio logo depois o nome da autora Ana Maria Machado muito conhecida do público infanto-juvenil. Fui pesquisar e encontrando e por sinal comprando o livro Doroteia, A centopeia. Depois do trabalho fui até a casa da garota cujo endereço é na frente do ponto de ônibus no Olaria. Bati a campanhia e entreguei-o, vi nos olhos dela uma grande gratidão, olhos de menina quando está feliz. E pra falar a verdade fiquei tão feliz de vê-la feliz que até fiquei emocionado, não chorei na frente dela, mas as lágrimas escorreram quando estava no ônibus a caminho de casa. Sempre que posso tento fazer uma experiência, não pra ser bom, mas pra dar um pouco de felicidade a alguém. Acho que ao divulgar essa minha iniciativa contribuo também pra estimular as pessoas, a pensar e agir pelas outras, porque eu quero e vou viver num mundo melhor, prometi a mim mesmo.

P.S: Ontem fiquei sabendo que o pai da garota está preso. A vida dessa garota não deve ser nada fácil, mais um motivo pra incentivar o sonho dela de montar uma biblioteca.
 
Vista da quadra ao fundo
 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Livres


Ao amor que tudo liberta
Vivenciado no dia a dia
Modifica a consciência
Tornando-nos mais puros e sensíveis

Naquele desenrolar de um novelo de lã
Puxa uma ponta, desfaz
Cria novas possibilidades
E a história se refaz

A liberdade
Artigo mais cobiçado do mundo
Acontecerá quando vivermos
Em uma fraternidade universal que tudo alcança.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Céu metafísico

Aquelas luzes trazem um frescor
de uma tarde de verão
Transparecem em meio a nuvens
cor de um cinza chumbo
Formam buracos de velas apagadas
Num tom que traz uma sabedoria tranquila
O sol entre linhas do tempo
Deixando marcas no espaço
Sem precisão de cirurgias cósmicas
ou coisas metafísicas.