O violão

Os dedos tocam a corda
Uma sonora nota musical
Não canto amores e paixões
Canto o querer fazer o bem
Eu sou forte como uma rocha
Indestrutível como o aço
No meu amor dado só há rosas
Com um fraterno abraço
Desfaço em mil pedaços
Junto cada caco
Faço pontos de interrogação
Perâmbulo pelas cidades
 Procuro por argumentação
Faço aquilo que minhas forças permitem
Não me dobro, nem curvo
Carrego lata d'água na cabeça
Inundo os céus
Com um amor que não é apenas de amigo
É daqueles que todo ser humano deveria de doar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog