Flor da pele

Transformo as minhas adversidades em arte
Ou simplesmente as coloco no papel
Não paro e não me deixo arquear
O gosto amargo do fel
Não irei resmungar
E nem mesmo chorar
Se a cada lágrima que escorrer
Você verá
Todas elas irão me fortalecer
A gente passa a vida reclamando
Querendo que as coisas melhorem
Mas nos tornamos sempre os mesmos
Deixando que os defeitos imperem
Eu digo a você
Subverta o tédio
Treine as emoções
E deixe que em você nasça o belo
Os olhares não serão os mesmos nas estações
A cada pôr de sol me refresco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Êxtase com McQueen