O amor entre duas pontas

O amor entre duas pontas foi uma poesia que escrevi pra falar dos meus desejos homossexuais e cai bem nestes tempo de afirmação da comunidade LGBT. Pra quem não sabe, pela primeira vez na TV brasileira, um casal homossexual masculino se beija em horário nobre numa novela conhecida como Amor à Vida. E nada mais justo neste momento que agradecer pela sensibilidade como a cena foi ao ar. Os personagens abaixo na foto retirada da internet são Nico e Fêlix.

 
O amor entre duas pontas
 
Não tenho culpa se eu amo um igual
Daqueles amores tão bons de se sentir
Gosto de doce na boca que enobrece o ser
Já sentiu algo assim uma vez na vida?

É difícil para quem não está em pele
O calor que você sente pelo diferente, sinto pelo igual
Amor que invade a alma e te joga no chão
Te faz criar asas e ir com pensamento além da paixão

Já sentiu aquele frio pela pessoa amada
Aquela vontade de querer ficar para sempre
Estreitar os laços de tal forma
Que até as leis digam amém

Não tenho culpa se amo um igual
Que os homens de bem não vejam com maus olhos
Duas pessoas iguais que se amam
Em uma ponte de desejos onde o amor reina

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog