Tempestade

Não cortarei meus pulsos por amor
Não beberei cicuta pra te agradar
Nesta história de nós dois sou mais eu
Eu sei, eu sei
Eu sei, eu sei
Que vamos sair por aí destruindo tudo
Por amor faço coisas que nem eu sei
A língua que cala é aquela que te procura
Te sentir no porvir do dia
Não adianta querida
Você é minha amada e farei de ti minha rainha
Procurarei outras histórias mas não adianta
Você povoa meus pensamentos
Como em uma tempestade em copo d'água
Te dei os meus melhores dias
E não há nada mais o que fazer

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz