sábado, 31 de maio de 2014

De manhã

Quando levanto de manhã
Penso em nós dois
A vida passa tão rápida
Beija-flor que sai da sua boca
Vem cá e me beija meu bem

País do futebol

Não curto funk mas curti essa música do MC Guimê. http://youtu.be/bWnS2dIDgQA

A menina de fita amarela (Parte III)

A menina de fita amarela está cansada de escrever poesias. Começou a divagar pelas letras, a procurar um novo caminho. Não sabe se irá encontrar. Ela gosta de fotografia, de ver fotos e imaginar cenas, talvez daí nasçe algo, mas ela agora não está com pressa. Sabe que as coisas na vida dela sempre foram lentas, meio arrastadas. Mas ela continua no propósito de escrever, porque ela se entende quando escreve. E escrever para ela não é um passatempo inútil, é algo que vem de dentro, de uma necessidade interior. E ela gosta de escrever, gosta mais ainda quando leem. Um livro está nos seus planos, mas ainda quer que ele nasça na maturidade, pois ainda não é um bom momento na vida dela, emocionalmente ela ainda se sente uma inválida. Ela sabe que esses pensamentos não são bons de sentir, mas eles veem e não consegue controlá-los. Chegou a hora de procurar ajuda especializada, para que ela se entenda melhor. Enquanto isso, as ideias borbulham em sua cabeça prontas para decolarem por aí. É ainda uma pequena garota com seus sonhos não realizados e com muita história para contar.

Vento

É vento que vem
É vento que vai
No balançar de pernas
Estrebuchando de dor
É brisa que entra
Brisa que sai
Vai levando meu amor

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Menina negra

Meus cabelos lisos e oleosos
São diferentes dos seus crespos e secos
Minha pele alva contrasta com tua pele negra
Pequena menina somos tão diferentes
Mas absolutamente humanos demais
Tua mãe deve ser uma pessoa adorável
Me apresente
Faça essa ponte se estreitar

terça-feira, 27 de maio de 2014

Flores

Aquelas flores vermelhas
Gardênias ou jasmins
Crisântemos de uma cor púrpura
Cobrindo as ruas e vielas da cidade
Como um tapete em teus olhos

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Sapatos

Toda mulher adora sapatos
Pode ser de salto agulha
De couro
Pisando em homens
E se fazendo dominatrix
Com um chicote na mão e dizendo palavras rudes
Dominando a situação num fundo verde



domingo, 25 de maio de 2014

Pensamento romântico

Os dias são os mesmos
Na beira da praia olhando o horizonte
Vendo a minha frente uma imensidão
Pensando em nós dois

Romance

O coração é uma caixa de surpresa
Sempre espera e alcança
Recitando poesias ao luar
E cantando versos de amor


Não adianta esconder o que sentimos
Sentimentos são as verdadeiras formas pra nos fazermos amados
Nunca esconda
Deixe-o libertado


Falo de coisas simples
Daquilo que me chama a atenção
Amores são como rosas vermelhas
Cada qual tem seu valor

sábado, 24 de maio de 2014

O silêncio

Têm momentos que o silêncio é a mais desafiadora das provas que temos que passar aqui na Terra. Quando estamos sós podemos nos manter em contato com algo sobrenatural, que ultrapassa a matéria e nos reconecta com aquela centelha divina.


Reconectados com aquela força que nos acolhe, nos ampara, devemos dar só o que é necessário dar, nem muito e nem pouco porque corremos o risco de perdemos tudo que construímos.


Quando a gente faz uma pausa pra essa ligação afetiva, intuitiva, nos inspiramos em coisas que nem percebemos no dia a dia.


Estou fazendo esse exercício do silêncio. O silêncio não é ausência de pessoas é apenas uma pausa numa mente atribulada e dispersa como a minha.


Cheguei a conclusão que devo fazer mais pausas, pra doar o que há melhor em mim e não o meu pior.


Toda língua que cai sobre os atos dos outros corre o risco de viver infeliz, entediada num mundo tão certo pra si mesmo.


Toda língua que se abre como dávida pra o outro é mais feliz porque dentro dela o silêncio não atrapalha, a comtempla.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Norte-americanos e o blog Limite Poético

Os americanos curtem o que escrevo, sempre que escrevo algo são sempre eles que mais visitam a página. Fico envaidecido por ser uma página de poesias em português. Algo dentro de mim fica interessado em saber o porque das recorrentes visitas. Acho interessante. Escrevo por pura necessidade, nada além disso. Obrigado a você de tão longe que para alguns minutos do seu tempo pra ler o que escrevo. Obrigado!

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Crescimento

O trabalho não me prende
Voar como pássaro livre
Sem pouso seguro
Na linha tênue de um amor obtuso  

Crescer a marra
Sentindo as dores do crescimento
Não há como tangir de muitos ventos
Sopra na cara
Te empurra pra viver a vida

Amores

Marquei numa nota promissória
O amor que tinha por ti
Tudo não passou de uma distração
Aquele revoar de pombos
Na praça dos amores possíveis  

Foi assim

Buscando um motivo pra sorrir
Aquele abrir de boca branco e límpido
Fazendo as coisas como se fossem um adeus
Num ritmo que só os anjos entendem

Foi assim que vivi a balbuciar
Em tons de nude e amarelo estrelar
Façamos festas pra encontrar
A quantidade de intenções imemoriáveis

Vem ser

Vem ser como um beija-flor
Sugando néctar
Presente no seu cabelo encaracolado
Finos fios de um loiro amadurecido pelo tempo
Vem ser como uma borboleta
Sugar açúcar dos ramalhetes
Viver de brisa e despencar por aí feliz

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Poesia nonsense


Deixei de escrever e ler
Minha cabeça cansada
Entediada de dias sem fim
Os versos escassos
Cada vez mais ralos e sem nexo
Numa profunda nonsense

domingo, 18 de maio de 2014

Exotismo

O exotismo de alguns comportamentos
Comer grilos e gafanhotos
Mel e abelhas
E a vaca sagrada
Onde castas que dividem a população
Um rosto marcado pelas linhas de expressão
Num tom negro

domingo, 4 de maio de 2014

Hoje eu quero voltar sozinho


Ontem assiste este filme, "Hoje eu quero voltar sozinho", saí do cinema com uma sensação tão boa e agradável que resolvi falar um pouco sobre ele. Conta a história de um adolescente com deficiência visual e suas questões de ordem afetiva e humana. A história é muito bem construída e nos leva a refletir que o diferente muitas vezes quer ser igual a todos nas tuas diferenças. O filme mostra que relações afetivas precisam e devem ter seu próprio espaço independente de opiniões familiares ou de amigos, ou neste caso específico de colegas de classe. Alguns críticos dizem que a história é apologia a homossexualidade, eu digo que é apenas uma história de afetos entre dois garotos que estão se descobrindo como seres providos de iguais desejos.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Toda vida

Toda vida é uma aventura sagrada
Toda vida é um néctar a ser consumido
Toda vida é paz que grita aos ouvidos

Toda vida é anseio de felicidade
Toda vida é o amor comprometido
Toda vida é sofrer e amar
Não pode ser pó e nem castigo

Senhor!
Te procuro na minha vida
Entra na minha casa
Me encha de sabedoria
A morte não pode me calar
Só a vida irei exaltar

Lamentos

A doença me arrasta
Quase me controla
Não me deixa ser quem eu sou

Estagnado
Preso numa caixa
A lama cobre meu pescoço
Quase chega a minha boca

Num silêncio
Fico a murmurar conflitos internos
Até que um dia tudo termine

Medos

Os medos corrompem
Não importam se são criações da mente
Estão sempre a espreita
Penetrando onde não deveriam penetrar
A ânsia de vômito persiste
Insiste em bater na porta
De lá pra cá
Não sei aonde ela estará