O amor

O amor que corrompeu os olhos
Figurativo sentimento de ser
Transviou-se em neblina
E deixou de se ter

O amor que de verás invade
No entardecer daquele poema
Reconstrõe de lirismo a face
De um belo amanhacer

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog