Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2014

Há apenas amor

Não importa se você considera-se de direita ou esquerda
Tua vontade é de amar aqueles que te passam ao lado
Ame
Se você tem uma ideologia mais centrada nas questões sociais ou
em questões mais econômicas
Não importa
Ame
No final descobrirá que tanto um quanto a outra
Tem pouco peso
Porque todo peso ou todo alívio
Consiste em amar aquele ou aquela que está ao seu lado
ou distante de você

Inspiração pela música

Nem tudo me inspira
Ela vem do encontro com o desconhecido
Vem em forma de palavra
Surge de momentos a sós
Nem todos me inspiram
Música é algo que penetra
Faz com que eu viaje pra dentro
Encontre as palavras e ponha-as no papel
Como algumas músicas me inspiram
O som bate
Movimenta-me
E os dedos agem
Música é meu alimento cotidiano
Sem ela não sou ninguém

A dança

Da série pra crianças


Cantando na janela
A menina de fita amarela
Dança de lá pra cá
Enfeita-se toda no seu quarto
Ao som de uma música calma
Faz rodopios com seu vestido de chita
E encanta-se pela voz da cantora
Como canta bonito
Voz firme e suave
Um desejo ela tem
Encontrar a cantora e dizer: Obrigado!

O sim

Meu amor
Tantas vezes te abracei apenas
E depois dançamos jazz
Há em mim uma sensação de nostalgia
Aquela fome de morrer junto
Querida
Colados rostos nos rostos
Aquela bela sensação de ter nos encontrado
Diante de uma altar pra dizer nosso: Sim.



Eu sou teu

O amor é uma pedra fundamental
Ele aquece todo meu corpo
Faz-me sentir mais homem
Em face da sua docilidade de mulher

Só o amor constrói pontes
Que podem nos ligar em uma linha tênue
Por isso te amo mulher como nunca amei outra

Esqueça as diferenças
Brindemos a vida que nos cerca
Achemos nosso infinito amor

Eu sou teu, eu sou teu
Eu sou teu, eu sou teu

O amor é uma estrada de mão dupla
Depende só de nós dois
Vivemos momentos únicos
Que só os fortes podem entender

Minha vida pra sempre vou te dar
Até porque estamos unidos como sol e lua
Complementares numa vida cheia de coisas boas

Não esqueço dos nossos momentos
Tão nossos, tão teus
Num amor inspirado nas estrelas mais altas

Política

Estamos em época de eleição
Dois candidatos se enfrentam
Não sei em quem votar
Apesar de entender que as pessoas almejam por mudanças
Mas elas mesmas não mudam nada
Político não faz milagre
São reflexos da sociedade que representam ou deveriam representar
Neste circulo vicioso de indecisão me encontro
Em quem votar?
Sou das conquistas sociais
Daquelas que emergem no meio da multidão
É mérito observar
Que como está não se pode querer estar

Reflexões

O que adianta usar de ironia
Criando uma áurea de deboche
Digo de passagem
Só os mais sérios mudaram algo
Os debochados e irônicos perdem tempo
Perdem energia que poderia ser usada mais complacente
Não que se deva ser sisudo
Mas um pouco mais de seriedade é importante
Até mesmo pra se manter neste mundo tão dado ao deboche

Ostra e pérola

O corpo pede paz
Cansado de viajar pra dentro
Pensativo e ensimesmado
Como ostra em dia de pérola

Delírios ou Êxtase

Quando saímos da realidade
Aquela que sufoca por instantes
Procuremos refugio no Senhor
Ele aquieta a alma
Borbulhada no sangue altíssimo

Quando saímos da realidade
Encontramos a paz que tanto procurávamos
Os sentimentos não mais se confundem
Guia-nos numa experiência fraterna
Onde não há mais lugar pra dúvidas e incertezas

Quando saímos da realidade
Busquemos dentro de nós a real realidade
Aquela que conforta e nos faz fortes
Mesmo sendo fracos de espírito

Quando saímos da realidade
Num estado meditativo e harmônico
Em que nada mais importa
A não ser Deus e você

Batalha

As batalhas que teremos que enfrentar
Naqueles campos de batalha que a vida impõem
Pertenço ao exército do bem

O mundo ainda precisa muito de mim
Dos meus músculos, das minhas ideias
E eu preciso de estar no mundo

Como um pássaro que presa pela liberdade
Uma coruja na sua santa sabedoria
Um punhal de letras que penetram no papel

Minha voz nunca se calará
Diante do suplício da humanidade
Eis me aqui pronto pra lutar pelo amor e pela liberdade de cada um

Aos rebeldes da paz

A rebeldia consiste em ajudar
Criar pontos de luz
Onde há só sombras
Solidariedade é uma bandeira
Erguida aos quatro ventos
Bondade é uma bandeira
Erguida aos quatro ventos
Fé é uma bandeira
Erguida aos quatro ventos
Que a força de mover de alguns
Resplandeça em direção aos outros
Mais do que compartilhar ideias
A vida consiste de ideais
Que se faz jus aos dias de outrora
Permeados de gestos de amor
Revestidos com a couraça da coragem
E transmitidos pela ousadia da fé

Primavera

São as flores que me encantam
Com sua beleza e forma
Relembram-me de momentos bons
E únicos que só os justos compreendem


O calor que aquece meu dia
Faz-me repensar na minha vida
O vento sereno que bate na pele
E inunda de coisas boas

Roda de samba

Numa roda de samba
Pandeiro e tamborim
A mulata balança
Seu corpo inteirinho


A alegria é uma festa
Que estimula o convívio
Todos num único tom
E o sorriso no rosto é imperativo





Paz

Busquemos dentro de nós sentimentos bons
Para que possamos leva-los a todos
Aqueles que lutam pela paz
Não podem descansar diante dos olhos do mundo

Haters

Aos que odeiam suas ideias
Aos que odeiam seus ideais
Aos que te odeiam por ter conseguido
Aos que odeiam suas posições
Só o amor constroem
Onde houver ódio que meu amor seja ponte
Onde houver ódio que meu amor seja vínculo
Onde houver ódio que eu leve a paz

Tesão

Apenas uma noite de prazer
Corpos envoltos
E o tesão que nos comem vivos


Aquele gozo
Sensação de bem estar
E um prazer que passa


Poucos minutos
Suor e lágrimas
Num leito de morte que nos envolve sempre mais

O amor quente

Meus pés frios
Minhas mãos cálidas
Meu coração aberto a paixão
O frio não me corta mais
Minha alma foi dilacerada por pedidos de outrora
Tudo é inconstante
A cada prova de amor mais beijos são dados
Os beijos são termômetros do corpo
E com eles que arder de febre
Pra ser esquentado em seus braços

Carta de amor

Baby, você me insultou
Não vou fazer o que você quer
Baby, você quer me dominar
Não vou fazer o que você quer
Somos livres das amarras
Fiz que era necessário
Baby, você me insultou
Não vou fazer o que você quer
Baby, você quer me dominar
Não vou fazer o que você quer
Oh! Como te amo
E você me trata com desdém
Não faça isso com meu pobre coração
Que não aguenta tamanha rejeição
Façamos uma guerra na cama
Acabemos com isso nos lençois
Naquele amor tão bom de si sentir
Oh! Como te amo
Mesmo diante da tua frieza
Te amo, baby, te amo

Diversidade

Façamos festa
Ultrapassemos nossos limites
Vivamos loucamente um sonho
Difícil se contentar com pouco
Quero mais
Façamos festa
Por que nas adversidades é que encontramos o porto seguro
São sempre os mesmos os desejos que enalteço
Você pode fazer mais que sentado no sofá assistindo tv
Ou no computador escrevendo frases soltas
Juntos somos mais
Juntos mudamos muitas coisas
Basta que você queira mudar
Então, façamos festa
Daquelas de arrombar o quarteirão
Pra dizer que estamos aqui
Que são somos poucos
Que são somos uma minoria aquada
Mostremos o nosso valor
Baby, juntemos um a um
E todos com todos