quarta-feira, 3 de junho de 2015

Inconstante

Inconstante
Não sei porque mais sou inconstante
Só a poesia me mantém vivo
Dela tiro água de pedra
Alimento-me e busco a paz
Insconstante
Cada dia é uma coisa diferente
E perco o foco em coisas tão simples
Meditar não ajuda
Orar também não
Mas minhas poesias são manifestações do meu sagrado
Sagrada alma de pouca exixtência
Inconstante predicado do meu sujeito
Que agora nem tem verbo
De tão sem ação
Apenas incurável

Nenhum comentário:

Postar um comentário