Poeta do "terceiro mundo"

Sou poeta do "terceiro mundo"
Que olha para si com desdém
Não vê a força que emana
Das tuas poucas letras
Elas são miúdas
Ora ficcionais ora confecionais
Não crio nada de novo
A poesia tem sua forma e lirismo
Pra que inventar muita coisa
Deixe os sentimentos e emoções falarem por si

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz