Rotina

Os ônibus passam pela minha janela
O ruído não deixa nenhum momento de silêncio
Sentado numa máquina de escrever
Compondo sinfonias poéticas
E a cada letra no papel
Mais vontade de escrever
Elas pulam na minha frente
Como se quisessem dizer algo
Escrevo compulsivamente
Letras em formas de sentimentos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz