Andarilho existencial

Andarilho existencial
Quebra as correntes do tempo
Responsável por aquilo que acredita
Mesmo com os erros de outrora
Caminha a passos largos
Estradas estreitadas pela mente confusa
Ergue-se um novo deslumbramento
Onde cânticos de amor aparecem

A vida parece uma ficção
Ora liberta
Ora reprime

Andarilho existencial
Ao andar pelos montes
Vê-se como um menino
Aturdido pelo mundo
Que quer colo e sente calafrio
A alegria deveria ser de agora
Mas o sol que se põe
Não deixa suas marcas no pobre coração


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen