quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Flor da manhã

Andei descalço
Com os pés na terra molhada
Sentindo o cheiro de dama da noite
E a alma livre de pecado
Olhei para o azul celeste
Deslumbrante entardecer
Encontrei duas almas
A minha e a tua
Neste vale que é a vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário