segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Minha dor

A minha dor
deixa-me com gosto de prazer
Não sou amarelo e nem azul
Vivo em tons pastéis
E a dor continua
como se não me deixasse em paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário