Rios de saudades

Não sei porque escrevo poesia
É uma necessidade intrínseca
Cada palavra vem e enche o peito
Descorre como leite derramado
E penetra em cada poro
Rios de saudades

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz