Metalinguagem

Não tenho métrica
Não tenho forma
Surjo espontaneamente
Cada palavra que aventuro em dizer
São palavras surgidas do nada
Que minha ínfima existência neste planeta
Seja de puro êxtase contemplativo
Em um mundo tão atribulado
Escrever poemas é minha única saída 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A luz