terça-feira, 9 de agosto de 2016

Dentro de mim há dois mundos
Não lutam mais entre si
Se harmonizam
Pois só Ele consegue este feito
A carne não me corrompe
É ponto de equilíbrio e afeto
A minha singularidade está em aproximar
O sagrado e o dito "profano" dentro de si
E oferecê-los como nota de um amor incondicional



Nenhum comentário:

Postar um comentário