Divagando

Escrevo poemas por amor a palavra
Que circunstância cada sílaba profética
Em um amaranhado de letras
Quase sempre desconexas

Faço e refaço cada palavra interna
Em exaustão elas saem
E povoam de glória cada tensão reverberada

Será que serei lido?
Será que serei compreendido?
Ficam muitas dúvidas
E uma única certeza
Escrever alimenta minha alma de infinitas formas de prazer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Extâse com McQueen