Monsieur de Gaultier - poema escrito em 2013


Ele cheira a fragrância Monsieur de Gaultier
Com notas encorpadas e distintas
Percorre os corredores
Aquela pressa constante
Pega metrô e ônibus
Um jeito meio desleixado de ser
Displicente
Calça larga que evidência seu excesso de peso
Uma camisa clara, tom pastel
Chega ao trabalho toda à tarde
Senta na frente do computador e olha o e-mail
Uma rotina quase insuportável
Nunca foi afeito a rotina
Agora na fase adulta tem que se adequar
É teu ganha-pão, seu sustento
Mergulhado em afazeres
A criatividade fica no que escreve
Não que tudo se torne poesia
A vida dele é impregnada de versos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Alexander McQueen