sábado, 10 de setembro de 2016

A mão que balança em meu peito
Um som hipnótico
Que toca interminavelmente
Enchendo - me de uma certa esperança
Aquele refrão chiclete que não sai da cabeça
Dançando a noite inteira
Esquecendo por alguns momentos a própria dor

Nenhum comentário:

Postar um comentário