sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Minhas palavras

Nunca tive pretensões
Escrever para mim é algo que vem de dentro
Daquela necessidade orgânica
Não serei nunca um canône
Pois as minhas palavras não geram estranheza
Fico com a vida que passa ao largo
Quero acabar morrendo de tanto escrever

Nenhum comentário:

Postar um comentário