segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Vivo num mundo fantasioso
Em que só a dor penetra
No peito aberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário