quarta-feira, 29 de março de 2017

O meu grito

Cansei de ser vadia
Puta de zona
Perambulando pelas avenidas de corpos masculinos
Cheirando a gozo
E a prazer indelicado

A minha luta é desconhecida
Com redemoinhos delirantes
Riscos no céu sempre existiram
Só eu que os vejo em um vermelho circundante

Criei - me na rua
Minhas feridas na alma
Tudo não passa de uma falsa modéstia
E as fezes escorrendo em sangue

Não quero chocar
A dor que deverás sinto
Pulsa e causa calafrios
Destes que se propagam pelos poros
E em poucos instantes
Eu grito

Nenhum comentário:

Postar um comentário