Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017
O nosso sonho é finito
enquanto dure a vida
que por detrás da existência
se faz mera conscidência

Não vou te atacar

Não vou te atacar
A violência pode ser inspiradora
Mas é no amor que devo ficar
Mesmo que insista em tal despautério
E me faça ficar com raiva
Luto comigo mesmo
Meus leões são mais fortes
Que o gosto de revidar


Não se sentir vítima

Não me sinto uma vítima
Corro os riscos que a vida me pede
Sem medo de demonstrar desejos
Calado é uma coisa que não fico mais
Na santa paz
estou com os desejos
e na harmonia
teço votos de felicidades

Elas se vão

Faltam 3 horas
que nunca passam
me deixam com um gosto amargo
e um sentimento nostálgico

As horas nunca passam
devagar vão indo
Não nos deixe cair na tentação de matá-las
Elas se vão...na incompletude dos minutos
Elas se vão

Sou eu

Sou eu
Que preciso de mudança
Não o mundo a minha volta
O meu trajeto
sou eu quem faço
não me adiantas dizer o que devo fazer
porque sou o único responsável

Quem canta o amanhã
Não colhe o dia
Eternizar-se numa nota de amor
Tem sempre mais valia

Trajetória - Na voz de Elza Soares

Imagem

Violência gratuita

A violência velada
Na palma da língua
Já senti e já presenciei
É algo que angustia

A violência descancarada
Nem precisa de bala perdida
É ouro no peito
E que afeta até os nervos

A violência
De qualquer maneira que vier
É suja e imunda
O algoz acha que tudo pode
Até que um dia se revide
E se faça crescer ainda mais o ódio

Língua de bosta

Muita gente com preconceito arraigado
Gente que não aprendeu respeitar o espaço alheio
Ontem ouvi na rua
Língua de bosta
Só porque beijei um menino

Fear

O medo bate na almaTe congela por instantesE faz você delirar de paixão

Branco, Homem e Cisgênero

Sou branco
Homem
Cis
Não tive dificuldades na vida
Nem por isso sofro menos
Minha alma é marcada
Por acontecimentos distintos
E deles produzo meus poemas
São a força do meu ser
Quero que você saiba
Mesmo sendo
Branco
Homem
Cis
Não compactuo com a violência contra a mulher
Não compactuo com a violência contra gays e trans
Compactuo com todas as formas de amar
Penso num país e vejo com novos olhos
Onde a luta de ser o que se é prevalecerá!



Não justifica

Não justifica
A cabeça ao meu lado
O coração em frangalhos
E o corpo em alta tensão




O amor é uma faca

O amor é uma faca
Penetra na alma e deixa cicatrizes
Rompe com ela
Deixe ela ir embora
Não queira saber dela
Mas o amor é uma faca
Sangra até não poder mais
E diante de tanto desespero
Notas de amor vão ficar

Reticência

Cabisbaixo
O olhar reticente
Coração abaulado de tanta dor
Que o corpo corre
E a alma voa

Para Elza Soares

Voz singular
Rara e bela
Permeada de amor
Cada letra dita com paixão
Negra de todas as cores
No samba, tua raíz
Raízera
Força em mulher
Lata d'água
Subindo e descendo morro
Gritando aos quatro ventos
Deixa ela cantar até o fim

Sorrir

Sorrir
Mesmo banguelo de afeto
Sorrir
Mesmo com o país em frangalhos
Sorrir
Mesmo com toda a forma de corrupção
Sorrir
É uma sina do brasileiro pobre
Deboche
É uma circustância de todo aquele que é rico


Elza Soares

Imagem

Elza Soares - A carne

Imagem

Poeta

Eu sou poeta até o fim
É minha sina
Escrever poemas é o local onde me reconheço
Mesmo que me digam ao contrário
Afundo-me em poesia

Quando a morte bate à porta

Não há nada o que fazer
O Espírito me disse
Pode-se apenas rezar
Sobre a incompletude que é a vida

Não quero deixar mágoas
Rancores ou desilusões
Quero que minha alma perene
Seja motivo de luz

Tiro

Um alvejamento
Tiroteios no interior
A violência circunda a cidade
E a cor vermelha se fez dor

Ficção e realidade

Coração em dois pedaços
Uma bala atravessou
Tudo aconteceu em um baile funk
Com extremo horror

Vazios

Vazios
São os melhores espaços
Pra se preencher de poesia

Os meus vazios presentes na alma
Encantam-me com a clara certeza
De que revoar entre as noites
É conquistar horizontes ainda não conquistados


Bagunçar

Eu não irei te bagunçar
Por que sou cis
Venho pra te provocar
Com minha filosofia
Onde o amor é a gota de liberdade

Pra relaxar com Liniker

Imagem

Volta

Voltar ao ponto inicial
Onde as palavras eram doloridas
Vejo que não dá mais
Não que queira falar de sofrimento
Mas quero falar de coisas que são importantes para mim
Volta pra meu lado
Oh! Palavras
Ajudem-me escrever por bem
Onde a dor suplantada seja melodia
Para meus ouvidos caídos

Como ser encantado

Quero escrever até os 100 anos
Manter a mente produtiva
Até que minha morte chegue
E como ser encantado me despeço

Minha B

Hoje deixo-me influenciar por você
Minha negra dos cabelos encaracolados
Sua realeza me fascina
Você diz verdades em seu último disco
Eu falo as minhas verdades desde sempre
Fui traído virtualmente não por você
Mas por ele que mora comigo
Decepcionante entender isso
Na realidade hoje pouco me importa
Um grande foda-se
Sou dono do meu próprio nariz
E das palavras que escrevo aqui

Hoje deixo-me influenciar por você
Escrever até as pontas dos dedos sangrem
E ver em cada estrofe um pouco mais de mim
E quem sabe um pouco de você
Minha B

Frase do dia

"A vida é uma grande festa do autoconhecimento,
se não for pra ser assim. É melhor se calar e manter o espírito em paz."

Kesha parabéns!!!

Imagem
Kesha prova que é uma grande cantora e dá show nesta música profunda e bela. É disso que digo, precisamos dizer nossas almas em forma de letras.

Acredito!

Não era pra ser? Não acredito nisso Quando as coisas acontecem Vem na hora que tem que vir
Estar preparado Crescer com as palavras Até que elas não estejam dentro de mim Mas nas outras pessoas

Metafísica do amor

Se Deus é amor Por que tanto ódio disseminado pelo mundo? Será porque vivemos numa época em que o desamor reina? Vamos criar a metafísica do amor Espalhá-la e deixar que o ódio não suplante o amor

Me amar de verdade

Não gosto de sofrência
Prefiro passar por cima
Ir onde o cérebro mandar
Racionalizar as relações
Deixar o dois com dois
E me amar de verdade

Meu sonho

Meu sonho
Vou conseguir alcançá - lo
Não irei arrancar da vida
Irei conquistá- lo

Para crianças

Não quero ver os males da Terra
A bondade deveria imperar
Passando a vida em revista
E vendo onde devo melhorar


Para crianças

Pra você ser artista
não é preciso aprovação
basta que na alma a arte cante
e encante com o coração

Retrospectiva

Aos 3 a mordida
Aos 7 a garrafa
Aos 11 a caída
Marcas que não somem
deixam lembranças
e como lembranças ficaram

Pensamento

O som das feridas abertas
cicatrizaram
E pude notar a beleza da vida
em meio aos espinhos

Fiz-me fraco
para aguentar os fortes
Fiz-me robusto
para suportar as angustias
E assim delas tirar
leite de pedra

Tela limpa

Em uma tela limpa
letras
que formam
conceitos
e arrancam ideias

Sem criatividade

Hoje estou sem criatividade pra escrever
O que vier a cabeça escrevo
E num instante depois
Surgem palavras que compõem versos

Tento pensar em cada linha
Mas convenhamos
Isto não é uma coisa incomum
Chega um tempo de obscura criatividade

As palavras parecem que vão
As frases vem
E os versos voltam

Na forma mais límpida 
De poetizar a alma
E encontrar a beleza de cada palavra




Não sou rei e nem profeta
Não advinho as coisas que acontecem
Apenas uso minha intuição
Pra enxergar mais longe

A verdade

Na multidão
vejo bandeiras erguidas
e pouca gente de fé
Uma fé inócua
Em que a verdade pouco transparece
Vejo tantos reclarem
que penso
uma vida que não é preenchida
se torna nefasta sombra de qualquer coisa

Língua maldita

Oh! Língua maldita
Que ninguém escuta
Tanto se fez para se tornar uma língua insana
Que conseguiu cair no esquecimento de tão profana


O frio que corta

Ah! Aquele frio
que machuca a pele
Corta os lábio até sangrar
Deixa um gosto de pulsão
e um desejo ardente
Ser orquestrado por si mesmo
até que Deus faça parte de mim
Uma criança em convulsão
Entre a dor da existência
Que abate no corpo
E perdura na alma
Como uma gota de orvalho



Realidades

Tem que ficar calado
O silêncio não maltrata a alma
Vazio que te quero
Deixa espaço para o pensamento
E pode ser bom ter tempo para pensar
Corremos tanto de coisas superficiais
Esquecemos de ver que na vida
O que vale preencher a alma
É de realidades mágicas e sobrenaturais 


Poeta marginal

Sou poeta marginal
Escrevo no limite
E só quem está no defronte
Observa sem prejuízo

Frase do meu dia

Imagem
Tocando no alto
verbarizar baixinho
A ponte que nos liga
não quebra mais
Meu mote é sempre o mesmo
Versar poesia até que não chegue
o lapso do querer

O ócio

Apenas o ócio produtivo
Que não corrompe a alma
E deixa um belo cheiro de rosas

Poemas

Escrevo coisas inutilizáveis
Posto o arroz com aquele feijão aguado
Vivo pra escrever dentro de mim
Até que consiga escrever algo fora
Em versos e poesias

O que me toca

O que me toca
Não é apenas uma mente pensante
O que me toca
É um coração ardente de afeto