Privações existênciais

Privo-me de pensar
Privo-me de amar
Privo-me de viver
E assim em tantas privações
Solto-me no espaço
para ver como balança as estrelas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog